InternetData CenterAssinante

Procon de Içara dá dicas aos consumidores sobre compra de material escolar

Mesmo com o fim do ano letivo, pais devem estar preparados para as compras do próximo ano
Procon de Içara dá dicas aos consumidores sobre compra de material escolar
Foto: Divulgação
Por Redação Engeplus Em 10/12/2019 às 13:57

Mais um ano letivo está próximo do fim. Época em que muitos aproveitam para descansar, e outros pais já aproveitam para pensar no material escolar para o ano posterior. Por conta disso, o Procon de Içara aproveita o período para dar dicas aos consumidores sobre compras de materiais escolares.  

Os materiais escolares foram os produtos que mais apresentaram aumento de preço no último ano. No índice de preços ao consumidor, o material escolar ficou, em média, 6,9% mais caro – o dobro da inflação dos demais produtos. A diretora executiva do Procon Içara, Karoline Calegari também traz outras recomendações.

"Antes de sair às compras, os pais devem verificar os itens que restaram do período anterior e avaliar se é possível reaproveitá-los. Vale a pena conferir os preços em bazares e nas grandes redes de supermercados, que compram em maiores lotes e, com isso, conseguem um menor preço de revenda. Outra dica é reunir um grupo de amigos para comprar o material escolar. É que algumas lojas concedem descontos para compras em grandes quantidades", apontou Karoline.

É importante esclarecer que a escola não pode solicitar a compra de materiais de uso coletivo, como material de higiene e limpeza; cobrar taxas para suprir despesas com água, luz e telefone; ou determinar a loja/livraria onde o material deve ser comprado.

A nota fiscal deve ser fornecida pelo vendedor. Em caso de problemas com a mercadoria é necessário apresentá-la, portanto, exija sempre este documento. Ao recebê-la, cheque se os produtos estão devidamente descritos e recuse quando estiverem relacionados apenas os códigos dos itens, pois isso pode dificultar a identificação.

Se os produtos adquiridos apresentarem algum problema, mesmo que estes sejam importados, o consumidor tem seus direitos resguardados pelo Código de Defesa do Consumidor. Os prazos para reclamar são: 30 dias para produtos não duráveis e 90 dias para os duráveis (no caso de vícios aparentes).

A orientação do Procon Içara é que, em caso de dúvidas, informações e denúncias, o consumidor deve procurar a instituição, que funciona de segunda a sexta-feira, das 8 horas às 12 horas, e das 13 horas às 17 horas, com sede na Rua Altamiro Guimarães, 356, Centro. Ou no telefone (48) 3432-5299.

Colaboração: Giovane Marcelino/Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Içara