InternetData CenterAssinante

Exportação de SC fecha 2017 com alta de 12%

Este é o melhor resultado desde 2014
Exportação de SC fecha 2017 com alta de 12%
Por Redação Engeplus Em 06/01/2018 às 19:55

No acumulado de 2017, as exportações catarinenses somaram US$ 8,51 bilhões, avanço de 12% frente ao mesmo período de 2016. O desempenho coloca o Estado em oitavo lugar no ranking das exportações, responsável por 3,9% das vendas externas brasileiras. Os dados são do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) e foram divulgados pela Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc).

“Tão importante quanto a alta de 12% nas exportações, é o fato de que o resultado de 2017 é o melhor registrado desde 2014, o que contribuiu para a recuperação da economia”, avalia o presidente da Fiesc, Glauco José Côrte. Ele chama atenção também para o perfil das exportações catarinenses, que tem 54% da pauta composta por itens manufaturados e 42,1% de básicos. “Somos uma das poucas unidades da Federação com os Estados Unidos, um mercado extremamente exigente, como principais destinos dos embarques”, diz.

“A balança comercial é o primeiro indicador fechado com os 12 meses de 2017 e confirma que o período representou o ano em que o Brasil saiu da recessão mais severa dos últimos 120 anos. Embora as estimativas de que o País deverá crescer cerca de 1% no ano sejam modestas, não podemos esquecer que saímos de dois anos consecutivos de queda da economia e que estamos preparados para avançar mais em 2018”, completa.

Os destaques da participação na pauta exportadora do Estado em 2017 foram: carne de aves, que ocupa a primeira posição (com crescimento de 12,6% em relação a 2016), seguido pela soja (com ampliação de 19,2%) e pela carne suína (com avanço de 14,1%). Esta última representa 40,5% de todo o produto exportado pelo País. Com exceção da soja, que representa 2,8% das vendas externas brasileiras do grão, todos os demais produtos de destaque da pauta de exportação catarinense possuem uma contribuição significativa do Estado, indo desde produtos básicos, como o tabaco (em que compreende 20,3%), até outros bastante especializados, como as partes para motor, que têm em 30,4% das vendas externas brasileiras Santa Catarina como origem.

Em termos de países, dentre os trinta principais parceiros comerciais, que representam 92,2% das vendas externas do Estado, os destaques são: Estados Unidos (responde por 16,57% dos embarques), China (11,28%), Argentina (6,88%), México (4,70%), Japão (4,69%) e Rússia (4,51%).

No ano, as importações do Estado apresentaram crescimento de 21,4% em relação ao mesmo período de 2016 (US$ 12,25 bilhões). O resultado, embora maior que o observado em 2016, é levemente inferior ao de 2014 e está na média dos últimos sete anos. Considerando a participação na pauta de importações, os destaques foram: cobre refinado, com avanço de 26,92%, ocupa a primeira posição, seguido de polímeros de etileno, com alta de 6,3%, e fios de filamentos sintéticos, que aumentaram 37,9%.

A balança comercial catarinense encerrou 2017 com déficit de US$ 4,07 bilhões.

Leia mais sobre: