InternetData CenterAssinante

Brasil perdeu R$ 146 bilhões para mercado ilegal no último ano

Crescimento em relação a 2016 foi de 12%
Brasil perdeu R$ 146 bilhões para mercado ilegal no último ano
Foto: Divulgação Receita Federal
Por Redação Engeplus Em 11/03/2018 às 19:00

A venda de produtos contrabandeados no Brasil em 2017 trouxe prejuízos de R$ 146 bilhões ao país, de acordo com dados levantados pelo Fórum Nacional Contra a Pirataria e a Ilegalidade (FNCP). Esse dado é a soma dos prejuízos registrados às empresas brasileiras e a estimativa de evasão de impostos causada pelo mercado ilegal. Em 2014, este valor era de R$ 100 bilhões, número que saltou para R$ 115 bilhões em 2015 e R$ 130 bilhões em 2016.

A venda de cigarros paraguaios, principal produto contrabandeado no país, atingiu patamar recorde em 2017: 48% de todo o mercado nacional do produto é dominado por marcas comercializadas ilegalmente, a maior parte vinda do país vizinho. Com isso o Brasil se tornou o maior mercado global de cigarros ilegais. A marca de cigarro mais vendida no brasil é a Eight, fabricada pela Tabacalera del Este, empresa de propriedade do presidente paraguaio Horacio Cartes.
 

Para o presidente do ETCO, o resultado da pesquisa não surpreende pois este não tema não é novidade. Ele acredita que a solução para o problema passa por uma ação integrada, que leve em conta questões como a segurança das fronteiras, a disparidade tributária entre países do Mercosul e a fiscalização constante em pontos de venda.

"O contrabando no Brasil está chegando a patamares nunca visto, e os brasileiros já perceberam isso" afirma. Para ele, "no momento em que o país vive uma intervenção federal no Rio de Janeiro e que diversos estados atravessam crises na área de segurança, fica claro que a população deseja que o governo atue de forma mais firme e contundente não só sobre os efeitos da violência nas cidades, mas também sobre os fatores que estimulam essa escalada na insegurança". Vismona aponta algumas medidas que devem ser levadas em consideração pelas autoridades no combate ao contrabando:
 

Colaboração: Flávio Simonetti

Anúncio