navegue nos blocos da capa

Economia

Relatório

Números para fomentar a estratégia, aposta da Acic

12
SET
2017
| 12h15
12h15
Redação Engeplus
Jornalista | Portal Engeplus
Escreva para a redação referente a esta matéria
Enviar mensagem

Este contato será envido de modo restrito para o jornalista.
Contribua com a matéria
Dúvidas, sugestões ou contribuições
Divulgação

Criciúma e o Extremo Sul passam a contar a partir de agora com um relatório completo e organizado referente aos seus indicadores estratégicos. A Associação Empresarial de Criciúma (Acic), juntamente com o setor de estatísticas da Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (Facisc), traz as informações referentes a demografia, economia, educação, inovação, dados sociais, infraestrutura e habitação dos últimos anos em um único documento, que estará disponível no site da associação empresarial.

O relatório foi apresentado pelo presidente da Acic, César Smielevski, durante a reunião da diretoria da associação na noite de ontem.  “Os dados, baseados na RAIS e no IBGE, nos ajudarão a vislumbrar novas situações para o futuro da região. Somos a área mais pobre de Santa Catarina e a tendência é piorar. Estamos perdendo competitividade e precisamos traçar estratégias para melhorar esse cenário", destaca o presidente.

Metade das empresas com até quatro funcionários

Entre os índices demonstrados no documento chama a atenção o grande número de empresas com até quatro funcionários.  Em 2015, mais de 50% das empresas de Criciúma registravam de 1 a 4 empregados. Já àquelas com mais de mil empregados, o município só registrava quatro empresas.
Em 2000, as 4 mil empresas ativas existentes em Criciúma representavam 41,5% do total de empresas do Extremo Sul. Cinco anos depois, em 2015, as 7 mil empresas representavam apenas 35%.

Outro dado preocupante apontado no diagnóstico se refere à pesquisa e inovação. De 2000 a 2015, o número de registro de propriedade intelectual passou de 189 para apenas 265. Em 2012, a concessão de registro de propriedade intelectual foi de 85.

Relevância das informações

O vice-presidente da Acic, Valcir Zanette, também destaca a importância de se conhecer e analisar os indicadores. "Os dados são importantes para chamar a atenção às tendências do mercado, para onde devemos caminhar em áreas como a de tecnologia e de robotização, por exemplo. Questões como educação, desenvolvimento do ser humano e do profissional, e competitividade precisamos continuar trabalhando ainda mais firme”, observa.

A reitora da Unesc, Luciane Ceretta, também diretora da Acic, propôs uma parceria entre a associação empresarial, a universidade e a Satc para atualizar e analisar cenários que contribuam com o desenvolvimento regional. "Vamos viabilizar esta parceria para estratificar esses dados e pensar estratégias”, coloca Luciane.

(Colaboração: Deize Felisberto / Comunicação Acic)

Leia mais sobre:
Fala Leitor
Se você possui uma sugestão de pauta, artigo ou um fato que deseja noticiar, entre em contato conosco pelo Fala Leitor.
imagens recentes no Portal
Praia da Vila, visita obrigatória em ImbitubaGovernador reúne secretários regionais e aponta desafiosMaracajá e Rui Barbosa decidem a SegundonaOs Bois de Mamão tomaram conta da UnescGrave acidente na Serra tira a vida de criciumenseBairro da Juventude ganha Centro Multiúso