InternetData CenterAssinante

Quando o crédito coopera

Dia Internacional do Cooperativismo de Crédito evidencia o segmento que cresce 20% ao no país
Quando o crédito coopera
Foto: Divulgação
Por Amanda Garcia Ludwig Em 14/10/2015 às 10:10

A jovem tubaronense Bruna Mateus tem bons motivos para celebrar o Dia Internacional do Cooperativismo de Crédito, promovido pelo Conselho Mundial de Cooperativas de Crédito (World Council of Credit Unions - Woccu), e comemorado há 67 anos na terceira quinta-feira do mês de outubro.

Quando se associou a uma Cooperativa há dois anos, Bruna foi atraída pelas taxas mais justas. Hoje percebe outras vantagens que a fazem permanecer como associada, unindo-se aos mais de 7,5 milhões de associados a cooperativas de crédito do país, segundo dados do Banco Central. E o relacionamento é um dos diferenciais apontados pela jovem. "Para o colaborador gerente da minha conta, eu sou uma pessoa, não apenas um número entrando pela porta", afirma ela, que é  associada do Sicredi no bairro São Martinho, em Tubarão.

Além do relacionamento, estas instituições também têm se diferenciado por oferecer soluções financeiras competitivas. "Temos uma corretora de seguros, uma administradora de cartões e uma administradora de consórcios que trabalham para oferecer a todo o Sistema, produtos condizentes com as necessidades dos nossos associados", destaca o diretor executivo da Sicredi Sul SC, Erli Silveira Lima.

A empresária criciumense Jucelane Barbosa Marques, confirma a tese das soluções competitivas. Associada ao Sicredi há um ano, ela utilizou recursos da Instituição Financeira Cooperativa para repaginar a sua empresa. "Com um capital de giro, consegui rapidamente comprar novas impressoras e cadeiras, além de um software moderno para implantar um novo fluxo interno", relata Jucelane.

Somado ao relacionamento e às soluções financeiras competitivas, as cooperativas de crédito também trabalham com um modelo agregador de renda. O recurso captado e emprestado aos associados, permanece na comunidade e promove o desenvolvimento das cadeias produtivas. O agricultor forquilhinhense Andreu Mandelli, reforça esse diferencial. "O custeio de parte da minha safra de arroz, além de máquinas e equipamentos que uso no meu dia a dia, foram adquiridos via cooperativa. Ela é uma força importante para o agricultor", conta Mandelli.

São estes diferenciais que explicam parte do crescimento do setor no país. Em 2014, as cooperativas de crédito tiveram um crescimento médio de 20% dos seus ativos. Os bancos aumentaram 14%. Ainda assim, o cooperativismo de crédito corresponde a pouco menos de 3% do Sistema Financeiro Nacional, de acordo com dados do Banco Central. "Quando você é associado, você é dono. Participa das decisões e dos resultados. Por isso procuramos formar os associados em cooperativismo para que eles percebam a importância do seu papel. Eles são donos da própria vida financeira", comenta o presidente da Sicredi Sul SC, Aloísio Westrup.

Colaboração: Giovana Pedroso / Comunicação Superintendência Regional Sicredi Sul SC - Criciúma