InternetData CenterAssinante

Leiloeiro: quem é ele?

Entenda quem é esse profissional e o seu papel nos leilões
Leiloeiro: quem é ele?
Por Isabella Peracchi Em 28/09/2021 às 16:08

Antes de entrarmos de cabeça nesse assunto, é importante lembrarmos a finalidade de um leilão, que nada mais é que transformar um bem em dinheiro. Então, o leiloeiro é basicamente aquela pessoa que cumprirá a missão de transformar o bem que for em dinheiro, seja ele de propriedade de uma pessoa física ou jurídica.
 

Em artigos anteriores: “Leilão para quê? Para realizar sonhos!”, nós já vimos que o bem pode ser uma cadeira, uma mesa, um carro, pode ser um apartamento, pode ser um terreno, enfim, são várias as opções.


Um leiloeiro atuará nos dois tipos de leilões existentes, ou seja, leilões judiciais ou extrajudiciais. Nós também já abordamos esse tema aqui [linkar aqui o texto 3: “De onde vem os bens de um leilão?”], mas vale recordar a finalidade de cada um:
 

  • Judicial: Serve para garantir os direitos de quem foi lesado de alguma forma.

  • Extrajudicial: É o que garantirá que um contrato seja honrado caso um financiamento não seja quitado.
     

A profissão do leiloeiro


    Trata-se de uma profissão bastante antiga. Para se ter ideia, no Brasil, ela foi regulamentada por decreto no ano de 1932! Além da obrigatoriedade legal de cumprir uma série de requisitos, é recomendado que o profissional se especialize em seu ramo, mesmo que não haja a exigência de ensino superior para o exercício dessa profissão.


Remuneração
 

O leiloeiro é, então, um intermediador da compra e venda por meio de leilão. Por fazer isso, ele ganha uma comissão que, via de regra, varia entre 5 a 10% sobre o valor final do bem arrematado. Porém, há situações em que a comissão é de 3%. O percentual pode mudar conforme cada negociação. É interessante enfatizar aqui que o leiloeiro só será remunerado quando o martelo for batido, isto é, quando a venda for realizada.


No entanto, se engana quem pensa que o profissional só entra em cena no dia do leilão. Antes disso acontecer, justamente para obter êxito em seu trabalho com a concretização do arremate, é ele quem irá organizar todos os trâmites para que o rito ocorra da forma mais clara e tranquila possível.


Responsabilidades


Então, sabendo que o trabalho começa antes dos lances, vamos entender o que acontece até o momento de realização do leilão. O leiloeiro é o responsável por organizar e conduzir o processo do começo ao fim, assumindo também as seguintes responsabilidades:


1) Selecionar lotes e classificar os produtos a serem leiloados;
 

2) Elaborar e divulgar o edital do leilão;


3) Zelar pelos bens que serão leiloados - no caso de jóias, por exemplo, ou de outros bens móveis;
 

4) Dominar todas as informações acerca do negócio que está conduzindo, bem como do produto leiloado;
 

5) Conduzir o leilão pessoalmente, no dia e hora marcados, quando o mesmo for presencial;
 

6) Angariar possíveis compradores e esclarecer eventuais dúvidas;
 

7) Conseguir os melhores lances;
 

8) Prestar contas do leilão.
 

Por fim, cabe destacar que um leiloeiro pode ser muito bom no cumprimento de seu papel, mas um profissional incompetente pode gerar problemas, incluindo prejuízos, se não se sair bem em suas atribuições.


Hoje você conheceu a profissão de leiloeiro e tudo o que envolve esse trabalho. Nos próximos artigos, vou continuar trazendo assuntos relevantes acerca do universo dos leilões.
 

Pelo e-mail desvendandoleiloes@engeplus.com.br você pode enviar suas dúvidas sobre este e outros artigos já publicados nesta coluna. Aguardo a sua mensagem! Até a próxima semana.