InternetData CenterAssinante

Leilão: um dos investimentos que mais cresceu na pandemia

Saiba o que fez com que o mercado leiloeiro conquistasse cada vez mais adeptos durante a p
Leilão: um dos investimentos que mais cresceu na pandemia
Por Isabella Peracchi Em 21/10/2021 às 18:05

Desde o início, a pandemia não desestabilizou somente a vida e a saúde dos brasileiros, mas também a economia, que sofreu drasticamente com os efeitos, muitas vezes devastadores, da Covid-19.
 

Porém, ao mesmo tempo em que o Brasil se viu assolado pelas incertezas deste cenário, uma notícia chamou a atenção e, na contramão de todo esse impacto, o mercado dos leilões cresceu.


Vários fatores contribuíram para esse crescimento, desde o isolamento social até a inadimplência em financiamentos de veículos e imóveis, por exemplo. As pessoas também passaram a se inteirar mais sobre essa modalidade de negócio.


Entenda quais foram os 5 principais motivadores do aquecimento dos leilões no país no último ano:
 

1. Isolamento social
 

Em casa e tendo a internet como companhia, a população passou a consumir mais produtos e serviços online. Nesse sentido, o isolamento social contribui amplamente para o crescimento dos negócios online e, indo ao encontro deste fenômeno, pessoas e empresas só comprovaram o que muitos já sabiam: em toda crise, nascem oportunidades.

 

2. Tempo

Diante do período de isolamento social, as pessoas passaram a ter mais tempo. Alguns aproveitaram para se aproximar da família, outros escolheram praticar o autocuidado e alguns buscaram avançar no mundo dos negócios e investir. No tempo livre, teve gente que se aprofundou no universo dos leilões e percebeu nele a possibilidade de realizar investimentos promissores.

 

3. Inovação e tecnologia

Mesmo com os bons resultados do setor, o começo de tudo não foi um mar de rosas. O fechamento dos comércios e o incentivo às atividades em isolamento, impactou fortemente o mercado dos leilões presenciais. Sem muitas alternativas, o grande diferencial foi a capacidade de adaptação do ramo ao dito “novo normal”. Assim, leiloeiros passaram a utilizar plataformas de leilão online e as mídias sociais para alcançar possíveis interessados. E não é que funcionou?

 

4.Liquidez ou falência

A necessidade de se adaptar ao cenário foi vivenciado por pessoas, mas também por empresas. Enquanto alguns empreendimentos se desenvolveram, outros precisaram tomar duras decisões. Para reforçar o financeiro ou por questão de falência, muitos bens como carros, móveis e imóveis acabaram ficando disponíveis para o arremate a valores bem atrativos.

 

5. Inadimplência

Assim como ocorreu com as empresas, diante do desemprego e da economia enfraquecida, muitas pessoas acabaram ficando inadimplentes em seus contratos de financiamento, tanto de automóveis quanto de imóveis. Apesar de ser uma triste circunstância para alguns, que não conseguiram ficar em dia com os pagamentos, a retomada dos bens pelos bancos e instituições financeiras resultou em leilão.

 

E você, tem ficado de olho nas possibilidades de investimento e se informado mais sobre os leilões? Como versa o ditado popular, enquanto alguns choram, outros vendem lenços. Em qual lado você se encaixa?
 

O e-mail desvendandoleiloes@engeplus.com.br está aberto para você comentar este artigo, enviar suas dúvidas ou sugestões. Espero o seu contato. Até semana que vem!