InternetData CenterAssinante

De onde vem os bens de um leilão?

Entenda a origem dos imóveis, veículos e outros produtos vendidos em leilões
De onde vem os bens de um leilão?
Por Isabella Peracchi Em 19/08/2021 às 11:59

Em nosso dia a dia, eventualmente ouvimos falar sobre leilões. Talvez você nunca tenha se questionado, mas já parou para pensar de onde vem todos os bens de um leilão?


É muito comum as pessoas acharem que um carro que está sendo leiloado, por exemplo, é fruto de um roubo ou está batido. De fato, muitos veículos de seguradoras são disponibilizados para o arremate, mas é importante que você saiba que nem todos os itens vendidos estão necessariamente danificados.
 

Vamos lembrar também que não existem apenas os leilões de automóveis, mas também os de imóveis, artigos eletrônicos, jóias, obras de arte, etc. (confira o artigo em que falo mais sobre esse assunto). Para ficar mais claro, é importante sabermos que existem dois tipos de leilões: os judiciais e os extrajudiciais, que são as formas como os bens chegam para o leilão. Vamos entender melhor:


Judicial


O leilão judicial tem os bens oriundos da Justiça, ou seja, são os bens apreendidos ou penhorados em processos judiciais das varas criminal, fiscal ou trabalhista, bem como falência, execução cível ou recuperação judicial.
 

  • Exemplo de leilão judicial


No mês passado, o Ministério da Justiça leiloou bens avaliados em R$80 milhões, oriundos do tráfico de drogas e relacionados a crimes de lavagem de dinheiro. Entre os imóveis leiloados, havia salas comerciais, terrenos e imóveis urbanos. Os valores arrecadados serão revertidos para o desenvolvimento de políticas públicas nas áreas de segurança e de combate ao tráfico de drogas.


Extrajudicial


Ao contrário do judicial, o leilão extrajudicial não abrange processos na Justiça. É comumente realizado por bancos, seguradoras e construtoras, mas qualquer indivíduo ou empresa pode colocar seus bens à venda nesse tipo de leilão.
 

  • Exemplo de leilão extrajudicial


É aqui que são vendidos os carros e imóveis que foram dados como garantia em empréstimos ou que tenham sido financiados, mas que, por algum motivo, não foram quitados. Também ocorre de pessoas ou empresas colocarem seus próprios bens à venda em leilões extrajudiciais, seja para investimento, renovação de patrimônio ou para se desfazer de produtos de forma mais fácil e rápida.


Agora que você já sabe a origem dos bens vendidos em um leilão, fica mais fácil dominar esse assunto que antes parecia tão complexo, não é?! Fique de olho nos próximos artigos sobre o mundo dos leilões, pois há muito mais para você aprender nesse espaço!


Tem alguma dúvida específica sobre leilões? Mande sua mensagem para desvendandoleiloes@engeplus.com.br para que eu possa abordar o seu tema de interesse nos conteúdos seguintes.