InternetData CenterAssinante

Perder o presidente agora seria comparável a ficar sem o piloto com o avião em turbulência

Em reunião com a diretoria e Conselho Deliberativo, Anselmo Freitas garantiu sequência
Perder o presidente agora seria comparável a ficar sem o piloto com o avião em turbulência
Foto: Criciúma E.C. / Divulgação
Por Eduardo Madeira Em 27/04/2021 às 08:30

Nos anos 80, invadiu os telões dos cinemas do mundo inteiro o clássico filme “Airplane!” - que no Brasil foi traduzido para “Apertem os Cintos... O Piloto Sumiu!”. Um clássico que até hoje rende boas risadas e que lançou Leslie Nielsen no cenário da comédia. Guardadas as devidas proporções e, obviamente, com um roteiro muito mais dramático do que a película dirigida por Jim Abrahams e pelos irmãos David e Jerry Zucker, podemos ver linhas de semelhança do filme com o que poderia ser o Criciúma sem Anselmo Freitas - que até pensou em deixar a presidência do clube, mas decidiu ficar.

No filme, toda a tripulação sucumbe à comida contaminada, inclusive o piloto. Coube a Ted Striker (Robert Hays), um ex-combatente de guerra e desiludido no amor, tentar assumir o comando do avião e evitar uma queda trágica.

No Criciúma atual, ninguém está contaminado com nada, tampouco corremos o risco de ver uma tragédia capaz de matar milhares de pessoas. Mas perder o presidente agora, num começo de trabalho, com centenas de olhares desconfiados e tendo uma árdua Série C pela frente, deixaria o clube num cenário comparável ao do avião que quase caiu no filme. Com a aeronave em turbulência, quem seria o Ted Striker criciumense? Alguém que desse a cara a tapa para assumir a bronca e tomar o controle do avião enquanto ele está em queda?

Trocar de presidente neste momento representaria voltar todas as casas no tabuleiro e dar outro start no processo. O novo mandatário precisaria de tempo para conhecer o clube, colocar pessoas de confiança lá dentro, repensar o planejamento do futebol e montar o time. Isso não se faz do dia pra noite. Por mais que ainda haja um mês até a estreia da Série C, tudo isso que citei não se constrói do dia para a noite.

Por mais que Freitas tenha ficado isolado, sem Waldeci Rampinelli, agora sem Giuliano Bittencourt - esse demitido, enquanto o primeiro deixou o cargo na direção de futebol -, ele ao menos já está por dentro da dinâmica do clube. Certamente, já iniciou conversas para compor o Departamento de Futebol. Precisou voltar algumas casas, mas não será necessário recomeçar do ponto de largada.

Hoje, sem dúvidas, em meio ao caos, a boa notícia pro Criciúma é a sequência do trabalho de Anselmo Freitas. O avião carvoeiro pode até passar por uma turbulência e quem está dentro da aeronave teme pelo pior lá na frente, mas, diferente do antigo filme dos anos 80, o piloto não sumiu e tem a chance de tentar reerguer, alinhar voo e atravessar as nuvens escuras que rodeiam o Heriberto Hülse.

Twitter: @omadeirinha / Instagram: @omadeirinha