InternetData CenterAssinante

Perdão pelo ceticismo

Partida entre Criciúma e Hercílio Luz marca a volta da torcida aos estádios catarinenses
Perdão pelo ceticismo
Foto: Criciúma E.C. / Arquivo
Por Eduardo Madeira Em 15/09/2021 às 10:00

A longa espera pela volta da torcida aos estádios catarinenses se encerra nesta quarta-feira, dia 15, quando o Heriberto Hülse recebe público para a partida entre Criciúma e Hercílio Luz, pela Copa Santa Catarina. Era um retorno inevitável. A vacinação avança, os índices de internação caem e os casos também. Uma hora ou outra isso iria acontecer e o momento atual parece ser adequado. 

Só há uma coisa que me intriga nessa história toda: os protocolos para a volta aos estádios.

Tenho uma opinião bem clara, e não é de hoje, de que o futebol, no que trata exclusivamente da relação com o torcedor, quebra todo e qualquer protocolo, por mais bem feito que ele pareça ser. É o caso do regramento para Santa Catarina, que prevê, entre tantos tópicos, a obrigatoriedade de ficar sentado nas arquibancadas e o distanciamento de 1,5 metros.

Quem nunca comemorou um gol se abraçando em um desconhecido? Não se aproximou da mureta para celebrar com um jogador ou para gritar com o treinador que fez uma substituição descabida? O futebol mexe com os nervos de quem vai para uma arquibancada e esperar racionalidade de ficar parado durante os 90 minutos, sem esboçar qualquer reação mais efusiva, me parece utopia.

No papel, tudo isso parece bem feito, bem organizado e talvez até dê certo na Copa Santa Catarina, competição de pouco apelo. Mas na prática e olhando a longo prazo, o resultado disso tudo aparenta ser o oposto. A volta do público aos estádios é uma equação bem mais complexa do que preparar, por exemplo, o retorno nos teatros e até mesmo em casas de shows. O futebol mexe com sentimentos variados. O torcedor vai da ira à felicidade em questão de segundos e a maneira como reage a esses sentimentos nas arquibancadas é o que faz o ambiente ser tão influenciável pros jogadores dentro de campo.

Por isso sou muito cético quanto aos protocolos pro retorno das torcidas aos estádios catarinenses. Quer dizer que sou contra qualquer protocolo de segurança? Evidente que não, afinal de contas, estamos falando de segurança sanitária. Mas há alguns itens do regramento que, convenhamos, não condizem com a realidade do futebol e dificilmente vão dar certo. Ou alguém acha mesmo que vai ter torcedor sentado durante os 90 minutos? O Criciúma vai fiscalizar, como tem de ser, mas, convenhamos, isso será meramente protocolar.

Seria muito mais honesto por parte do Governo do Estado bater no peito, colocar normas mais brandas e palpáveis para a realidade do torcedor que frequenta as arquibancadas e falar que está assumindo o risco ao abrir os estádios para o público. É melhor do que dar murro em ponta de faca com protocolos que só vão funcionar no papel e servirão pra dizer que alguma coisa foi feita. Perdão pelo ceticismo, mas, mesmo com a necessária volta do público, a dinâmica do futebol derruba qualquer protocolo.

Twitter: @omadeirinha / Instagram: @omadeirinha

Leia mais sobre: