InternetData CenterAssinante

Dissecando os reforços do Criciúma: Emanuel, Moacir, Mateus Anderson e Uilliam Barros

Emanuel reforça a defesa, Moacir o meio e Mateus Anderson e Uilliam Barros o ataque
Dissecando os reforços do Criciúma: Emanuel, Moacir, Mateus Anderson e Uilliam Barros
Foto: Celso da Luz / Criciúma EC
Por Eduardo Madeira Em 22/02/2021 às 08:45

Enfim, está chegando o dia da estreia do Campeonato Catarinense. Será a chance de ver como os novos jogadores do Criciúma se encaixam no time de Hemerson Maria e se as expectativas serão concretizadas. Na sequência da série onde estamos dissecando os reforços do Tigre, vamos trazer um pacotão hoje, com quatro atletas sendo analisados.

Confira abaixo:

Emanuel

Aos 23 anos de idade, Emanuel terá a maior chance da carreira jogando pelo Criciúma. Em 2020, defendeu o Red Bull Bragantino, mas jogou apenas pelo time sub-23, participando do Brasileirão de Aspirantes. Em equipes profissionais, durante torneios nacionais, pouquíssimos registros são observados.

Ele se caracteriza como um lateral que trabalha bastante no campo ofensivo, mas é muito mais um jogador de intermediária de ataque, que ajuda a construir com os meio-campistas, do que alguém que vá buscar o fundo e procurar os cruzamentos. Basta ver que Emanuel não é um lateral que tenha dado muitas assistências por onde passou.

Trata-se de uma aposta do Criciúma. Não tem um histórico que dê boas indicações, tampouco possui um perfil técnico que dê certeza de retorno, mas, ainda assim, é jovem, com margem de evolução.

Moacir

O experiente Moacir, de 35 anos, foi uma das contratações mais conhecidas do Criciúma até aqui. Tem passagem pelo Corinthians no currículo, se destacou pelo Sport e possui bons anos na Série B. A mais destacável dos últimos anos foi em 2019, onde foi titular no acesso do Atlético Goianiense.

Trata-se de um jogador com perfil bem interessante, se pensarmos adiante, olhando a Série C. É volante de aproximação, podendo, inclusive, ser aproveitado como meia, especialmente mais pelo lado direito. Em determinado momento da carreira, chegou a jogar como lateral direito também. É um jogador de passada larga e boa aproximação na grande área, muitas vezes para finalizar. Na Série B de 2019, se notabilizou como um jogador muito mais ofensivo do que defensivo. Segundo Sofascore, teve 87% de acerto nos passes e média de 16.3 passes no campo adversário em 31 jogos - em todos foi titular.

Certamente, deve ser um dos titulares do time de Maria - como já ocorreu quando trabalharam juntos no Vila Nova. A experiência conta a favor, a exemplo da capacidade técnica. Num Estadual de nível técnico enfraquecido, somada a uma Série C que deve ser muito disputada, Moacir tende a acrescentar.


Foto: Celso da Luz / Criciúma E.C.

Mateus Anderson

Mateus Anderson é outro da cota “bruxo do Maria” - como Moacir, Alemão, Índio e por aí vai. Entre 2014 e 2019, o ponta direita defendeu o Vila Nova e, no período de Hemerson por lá, teve bastante prestígio. Inclusive, a temporada de mais jogos e mais gols dele foi com HM: em 2018, jogou 54 vezes e fez quatro gols - essa quantidade foi igualada em 2020.

Trata-se de um ponteiro canhoto, que atua predominantemente pelo lado direito. É habilidoso, costuma procurar o drible e o corte pro meio para o chute no pé preferencial. Apesar dos poucos gols na carreira, costuma sempre procurar a área. Ou seja, é um ponta que não dá amplitude, mas aumenta o volume na área.

É um jogador que, certamente, terá muitos minutos, principalmente por Maria conhecer bem dos tempos de Vila Nova.

Uilliam Barros

A aposta de “homem-gol” do Criciúma cai nas costas de Uilliam Barros. Aos 26 anos de idade, o atacante segue em busca de uma regularidade maior. Não explodiu no Fortaleza, clube que o formou, empilhou gols no Sampaio Corrêa em 2018, voltou a falhar nas experiências por Ferroviária e Operário e teve altos e baixos em 2020 pelo Paysandu.

Aliás, muito antes de passar por esses times, Uilliam Barros já aprontou das suas no Heriberto Hülse. Lembram-se do confronto entre Criciúma e Altos (PI), na Copa do Brasil de 2017, que só foi decidido nos pênaltis? No tempo normal, aquele jogo acabou em 2 a 2 e o primeiro gol do time piauiense foi dele.

Uilliam não é tão alto - 1,82m -, mas é esguio, tem passada larga. Pode, inclusive, jogar fora da área. O forte dele é dentro, porém. Um dos recursos mais fortes do novo atacante criciumense é o jogo aéreo, sendo um bom cabeceador, dotado de posicionamento razoável.

Se o jogo-treino contra o Grêmio, na última semana, pode ser considerado uma prévia ou um indício de algo, a torcida possui razões para se animar. Dos gols do 4 a 0, ele fez dois. É uma aposta do Criciúma, mas também uma chance para o próprio Uilliam dar um passo firme rumo à consolidação da carreira, que já teve bons momentos, mas que ainda não conseguiu embalar.

Amanhã, a nossa série tem sequência. Os jogadores analisados serão Philipe Maia, Léo, Gustavo e Helder.

Twitter: @omadeirinha / Instagram: @omadeirinha