InternetData CenterAssinante

A saída de Luiz foi a melhor decisão para todos

Goleiro rescindiu contrato e deixa o Criciúma após cinco anos
A saída de Luiz foi a melhor decisão para todos
Foto: Amanda Ludwig / Arquivo Portal Engeplus
Por Eduardo Madeira Em 25/01/2020 às 18:46

Ninguém pode reclamar da saída de Luiz do Criciúma. Nem goleiro, nem clube. A prova disso é de que o anúncio feito pelo Tigre neste sábado, dia 25, através de nota no site oficial, pegou poucas pessoas de surpresa. Talvez a hora - véspera de uma partida, em um sábado de manhã - não tenha sido a esperada, mas todos sabiam que a qualquer momento esse comunicado poderia surgir.

Por parte do clube, o alívio parece ser maior. Afinal de contas, como bancar um jogador de alto salário entre os reservas? Já pelo atleta, é necessário reconhecer a queda técnica e física nos últimos anos. Luiz tem jogado menos em quantidade e entregado menos em qualidade. A própria torcida, que antes o enxergava com respeito e até mesmo como ídolo, já perdeu boa parte da admiração. Certamente, era uma percepção de que quando o time precisava, o goleiro não estava lá.

Obviamente, não podemos negar os bons anos que Luiz viveu em Criciúma. Especialmente entre 2015 e 2017, ele poderia, sim, ser colocado como o melhor goleiro de Santa Catarina. Mas a queda de rendimento era notória, sofrendo gols do qual não estava acostumado a tomar. Permanecendo, brecaria o progresso de Paulo Gianezini. Oito anos mais novo, ele correspondeu quando exigido e está na curva de evolução.

Por fim, Luiz deixa o Criciúma como o símbolo de uma época pouco gloriosa do clube. O Tigre não celebra nenhum título desde 2013 e, desde que ele chegou, foram dois rebaixamentos. Logicamente, a culpa não é exclusivamente dele. Mas da mesma forma que os períodos vencedores marcam alguns nomes - nos anos 90, Felipão e a geração campeã da Copa do Brasil ou então Paulo Baier, Edson Gaúcho e os vencedores da Série B de 2002 - os tempos obscuros gravam personagens também. E quando formos relembrar dos times da segunda década do século XXI, Luiz acabará sendo, inevitavelmente, citado como um jogador importante - pro bem e pro mal.

Leia mais sobre: