InternetData CenterAssinante

Festival Wiediistock alia arte, educação ambiental e música à preservação do Gato-Maracajá

Palco do evento deste sábado será a Reserva Biológica Estadual do Aguaí
Festival Wiediistock alia arte, educação ambiental e música à preservação do Gato-Maracajá
Foto: Junior Santos
Por Redação Engeplus Em 09/09/2019 às 17:41

O Felinos do Aguaí é um projeto ambiental dedicado ao estudo e conservação dos felinos silvestres ameaçados. A iniciativa é realizada dentro da Reserva Biológica Estadual do Aguaí, que compreende os municípios de Treviso, Siderópolis, Nova Veneza e Morro Grande. A sede localizada em Siderópolis será palco do primeiro festival musical dedicado a preservação da Mata Atlântica e do Gato-Maracajá.

Baseando-se no papel de integração que a música tem na sociedade, os responsáveis pelo projeto, Michelle Ribeiro e Junior Santos, desenvolveram o festival Wiediistock. O nome é uma alusão ao famoso festival Woodstock, associado ao nome cientifico do gato (Leopardus Wiedii), motivo principal do festival.

Conforme Michelle, que é a bióloga coordenadora do instituto, além de trazer integração com a comunidade por meio da arte e experiências educativas, o festival busca levantar fundos para a construção de um espaço único na região. “Temos um projeto para instalação de um recinto na reserva que irá possibilitar a estadia de animais silvestres. Isso colaboraria muito com as pesquisas sobre esse animal e também possibilitaria abrigo aos que por algum motivo não podem ser reintroduzidos na natureza”, explicou.

No Estado de Santa Catarina, o principal local para destinação de animais silvestres é o Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas), localizado no Parque Estadual do Rio Vermelho, em Florianópolis. Atualmente, dois animais são monitorados pelo projeto.

O festival

Idealizado pelo instituto, o festival conta com a ajuda de voluntários para acontecer. Além dos organizadores, todas as atrações são colaboração. Segundo o fotógrafo montanhista Junior Santos, a programação inicia as 13 horas, e foi pensada para atrair crianças e adultos.

Peças teatrais, parede de escalada, shows com bandas locais e educação ambiental fazem parte do festival. “Além do nosso propósito de preservar, queremos possibilitar um movimento cultural para artistas independentes. Temos um local inspirador aqui, que pode ser palco de muitos projetos”, comentou.

Os ingressos para o festival estão disponíveis em Criciúma, na Farmácia Vitalis e no Cacib, em Nova Veneza nas agropecuárias Agro Destro e Nova Era, em Siderópolis no Posto Fórmula 1 e em Sombrio na Maxx Comper.

Colaboração: Flávia Bortolotto / Assessoria de imprensa voluntária