InternetData CenterAssinante

Um espetáculo de encher os olhos e o coração

Unesc em Dança levou mais de 880 bailarinos ao palco do Teatro Elias Angeloni
Um espetáculo de encher os olhos e o coração
Foto: Milena Nandi
Por Milena Nandi Em 02/12/2019 às 18:21

O Festival Unesc em Dança, considerado o maior evento do gênero no Sul catarinense, completou 20 anos de vida em 2019. São 20 anos contando histórias e possibilitando que os profissionais e os alunos de dança mostrem o seu trabalho e talento em um espetáculo gratuito e aberto ao público em geral.

Deixando um pouco a jornalista que utiliza esse canal para divulgação da cultura e da arte e entrando na “pessoa física”, digo que o festival é uma experiência inesquecível. Nas últimas nove edições do evento, já atuei na cobertura jornalística do festival, fui “apenas” plateia e já estive no palco, apresentando por duas vezes coreografias de dança flamenca assinadas pela professora Viviane Candiotto. O Unesc em Dança é, sem dúvida, um presente para todos nós.

Dito isso, voltemos à programação normal (hehehe). Neste ano, o festival ocorreu de 29 de novembro a 1º de dezembro. A programação começou com o Circuito de Formação em Dança que passou por seis cidades no primeiro dia do evento e seguiu para a apresentação de 24 coreografias da Mostra Sênior. As cortinas do espetáculo fecharam no terceiro dia, após a Mostra Infantil, na qual foram apresentadas 46 coreografias.

Mais de 880 bailarinos passaram pelo palco do Teatro Elias Angeloni neste ano. Eles vieram de dez municípios das regiões de Tubarão, Criciúma e Araranguá. O festival não tem caráter competitivo e todos os grupos receberam Menção Honrosa pela participação. Uma banca formada por professores de dança que atuam em Florianópolis, Nova Veneza e Blumenau avaliaram as apresentações e escolheram as coreografias e os bailarinos destaque, além dos grupos revelação.

E pela passagem de 20 anos do festival, a comissão organizadora do evento homenageou o seu criador, o professor e bailarino Valter Savi. Os pioneiros da dança na região também foram reverenciados.