InternetData CenterAssinante

Biden encontra dificuldades para passar projeto de infraestrutura

Presidente dos EUA vai ao Congresso negociar com deputados
Biden encontra dificuldades para passar projeto de infraestrutura
Foto: Foto oficial da visita de Biden ao Congresso
Por André Abreu Em 02/10/2021 às 18:11

Após uma semana turbulenta de negociações entre democratas que tentam aprovar duas peças centrais da agenda do presidente Joe Biden, a Casa Branca e os líderes do Congresso estão dobrando seu esforço para aprovar os projetos do governo em meio a conflitos intrapartidários.

"Acredito que posso conseguir isso", disse Biden a uma multidão de repórteres no sábado (02) antes de embarcar em um voo no helicóptero do Marine One para seu estado de Delaware. "Acredito que, quando o povo norte-americano estiver ciente do que está nele, possamos passar esses projetos."

A presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi adiou a votação por duas vezes durante a semana de um acordo bipartidário de infraestrutura aprovado no Senado depois que ficou claro que a liderança de governo não poderia reunir os votos para que o projeto fosse bem sucedido em meio ao debate sobre um pacote muito maior que expandiria a rede de programas sociais do país.

Fogo amigo

O presidente Joe Biden esteve na Câmara em meio ao clima de rivalidade entre os deputados e os senadores democratas. Como o governo não consegue aprovar um pacote social no Senado devido a pouco entusiamso dos senadores, os deputados democratas não querem votar o plano de infraestrutura de mais de 1 trilhão de dólares. 

A luta interna dos democratas é dividida entre moderados (centristas) e liberais (considerados da esquerda do Partido Democrata).  

Impacto internacional

A aprovação do projeto de infraestrutura injetaria mais de um trilhão de dólares na economia dos EUA promovendo uma reforma de pontes e rodovias por todo o país. O impacto vai além dos EUA e pode influenciar positivamente os mercados financeiros pelo mundo com a valorização do aço como commodity e nas ações de empresas do setor no Brasil bem como em diversos outros países.  

Reforma imigratória

O presidente Biden vem tentando manter uma promessa de campanha e pretende fazer uma reforma imigratória. Como entende que não tem votos para passar a reforma com uma lei específica, a estratégia era fazer uma emenda na lei de emenda ao orçamento (reconciliation bill) para beneficiar imigrantes indocumentados no país. A área jurídica do Senado rejeitou o plano. Por esse caminho o governo teria votos suficientes na Câmara e no Senado para aprovação. 

O plano B seria fazer uma emenda na lei de imigração garantindo a legalização de quem estivesse nos EUA desde 2010. Novamente a área jurídica do Senado descartou a possibilidade. 

Com as duas negativas, a proposta de uma reforma imigratória está longe de sair do papel, pois dependeria de aprovação na Câmara e de 60 votos no Senado. O governo tem 50 votos e em caso de empate a vice-presidente Kamala Harris vota. A dificuldade é enorme.