InternetData CenterAssinante

Visita de Secretário de Estado dos EUA reforça papel do Brasil como acolhedor dos venezuelanos

Professora Eveline Brígido fala sobre imigração dos venezuelanos no Mercosul
Por André Abreu Em 20/09/2020 às 09:32

O Secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, visitou o Brasil nesta sexta-feira (18). Durante a visita, a situação dos refugiados venezuelanos em Roraima foi o assunto principal. A triagem e recebimento dos venezuelanos é conhecida como Operação Acolhida. O Ministro das Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo, esteve ao lado do Secretário norte-americano durante toda a visita. O governo Bolsonaro tem sido marcado por um alinhamento político internacional com o governo Trump.

A professora de Relações Internacionais, Eveline Brígido, com mestrado em Direito Internacional pela UFSC e doutorado em Ciências Políticas pela UFRGS, destaca que a crise migratória tem se acentuado bastante desde 2011 após a Primavera Árabe e a intensificação da guerra na Síria no panorama global. Esse fluxo migratório foi somado aos fluxos do Afeganistão e dos países africanos. Fatores como o surgimento do Estado Islâmico contribuíram para o aumento de pessoas que deixaram seus países entre 2014 e 2015.

No panorama mais próximo ao Brasil, segundo a Doutora Eveline, a questão venezuelana se destaca neste período de pandemia por que as migrações se limitaram a movimentações em terra ou marítimas no caso da Europa, uma vez que o espaço aéreo foi fechado na maioria dos países com restrições a entrada de viajantes internacionais. 

A professoara ressalta que os países têm compromissos internacionais assumidos para recebimento e acolhimento dos imigrantes. No primeiro momento eles precisam verificar os direitos que esses imigrantes têm ao chegar ao solo do país. No caso do Mercosul, o maior fluxo de migrantes é de venezuelanos, que também são recebidos por países como Colômbia e Peru. 

Apesar de fronteiras terrestres estarem fechadas, os países têm que receber os migrantes, reforça a professora. Não podem argumentar o risco de transmissão de coronavírus. Os países da União Europeia estão adotando estratégias diferentes: quarentena, testes, assistência médica na chegada. Os processos de deferimento de pedidos de refúgios têm demorado por conta de questões de funcionamento dos órgãos públicos.

A operação Acolhida de recebimento de imigrantes venezuelanos ao Brasil é mais uma ação que coloca o país em destaque no cenário internacional como destino de refugiados.  

Foto: Professores Eveline e Roberto Uebel participando de conferência da ONU no Cairo.