InternetData CenterAssinante

Trump e Biden: batalha voto a voto em estados decisivos

Candidatos intensificam campanha com eleição na terça-feira (03)
Trump e Biden: batalha voto a voto em estados decisivos
Por André Abreu Em 01/11/2020 às 08:56

À medida que as eleições de 3 de novembro nos Estados Unidos se aproximam, as pesquisas de opinião mostram que o candidato à presidência Joe Biden está à frente do atual mandatário, Donald Trump, com cerca de 7 pontos percentuais nacionalmente.

Os números das pesquisas não são um indicador seguro do resultado, já que as eleições presidenciais dos EUA não são determinadas pelo voto popular, mas por votos eleitorais, que são alocados aos estados proporcionalmente às suas populações. Todos, exceto dois estados pouco povoados, Nebrasca e Maine,  atribuem todos os seus votos eleitorais ao vencedor do voto popular naquele estado (the winner takes it all, o vencedor leva todos os votos).

A maioria dos estados apóia previsivelmente uma das partes, deixando cerca de uma dúzia de estados “indefinidos” (swing states, estados que balançam entre um lado e outro) que podem ir para qualquer lado e geralmente determinar o resultado final. Um candidato precisa de 270 de 538 votos eleitorais para vencer.

Biden lidera por uma margem menor nos estados indecisos - em alguns casos, por menos de quatro pontos percentuais, o que pode estar dentro da margem de erro de pesquisa.

O presidente Trump espera repetir sua vitória de 2016 garantindo vitórias no colégio eleitoral em estados de campo de batalha eleitoral críticos, incluindo Pensilvânia, Michigan e Wisconsin, que ele ganhou em 2016 por margens estreitas.

Trump ainda está mostrando força e não perdendo tanto nesses estados indecisos do meio-oeste quanto nacionalmente, disse Robert Griffin, diretor de pesquisa do Grupo de Estudos do Eleitor do Fundo para a Democracia. “É apenas uma questão de saber se o clima nacional estará suficientemente distante entre os estados decisivos, aqueles estados decisivos vitais no meio-oeste, para realmente fazer a diferença”, disse Griffin.

Mas se uns apostam no Meio-Oeste, outros apostam em estados como Flórida ou Carolina do Norte.