InternetData CenterAssinante

Europa: entenda como está funcionando a reabertura

Informações sobre os principais países da Europa
Europa: entenda como está funcionando a reabertura
Foto: afp
Por André Abreu Em 06/05/2020 às 19:30

Na Dinamarca, as autoridades sanitárias avaliam que a COVID-19 desaparecerá sozinha com as medidas de confinamento, embora temam uma segunda onda.

Na Espanha, o chefe de governo, Pedro Sánchez, considerou que uma suspensão do confinamento "precipitada" no país seria um "erro absoluto, total e imperdoável", e defendeu no Parlamento a necessidade de estender o estado de emergência.

Os deputados aprovaram uma extensão até 23 de maio, apesar da oposição dos conservadores e da extrema direita.

Na Bélgica, o confinamento imposto continua sendo abrandando também, com a reabertura dos estabelecimentos não essenciais na segunda-feira, anunciou a primeira-ministra Sophie Wilmes. A partir de domingo, cada família poderá receber sob seu teto quatro pessoas, parentes ou amigos, com a condição de que sejam "sempre os mesmos".

Na Grã-Bretanha, o primeiro-ministro Boris Johnson foi encurralado nesta quarta-feira pelo líder da oposição a respeito do balanço oficial da COVID-19 no país.

"Como se pode chear a isso?", alfinetou o líder do Partido Trabalhista, Keir Starmer, em uma Câmara dos Comuns parcialmente vazia, alarmado com o número de mortos que "dispara" nos lares para idosos. Johnson prometeu para o domingo anunciar sua estratégia de desconfinamento.

Pico na América do Sul ainda por vir

Espera-se que o pico da pandemia seja atingido nos próximos dias em alguns pontos da região, razão pela qual vários países como Equador, Colômbia e República Dominicana decidiram prorrogar as medidas de confinamento para evitar a propagação da pandemia.

A Organização Pan-americana da Saúde (OPAS) pediu aos governos que sejam "cautelosos" na hora de abrandar estas medidas, e advertiu que a transmissão "ainda é muito alta" em Brasil, Equador, Peru, Chile e México.

O Brasil é hoje de longe o mais afetado e registra mais de 115.000 casos e quase 8.000 mortes. Preocupado, o Uruguai anunciou que aumentará o controle sanitário na fronteira entre os dois países.

Foto: Moradores de São Petersburgo, na Rússia, aproveitam o tempo bom apesar do confinamento, em 5 de maio de 2020.