InternetData CenterAssinante

Caos em Mineápolis

Guarda Nacional mobiliza mais de mil homens para conter onda de violência e revolta
Caos em Mineápolis
Foto: Reuters/Adam Bettcher
Por André Abreu Em 29/05/2020 às 10:07 - Atualizado há 1 mês

A Guarda Nacional do estado de Minnesota está colocando mais de mil homens nas ruas de Mineápolis neste sábado. 

Eles irão se juntar a cerca de 700 soldados já presentes na cidade desde a noite de agitação social e desordem de ontem. 

O governador do estado vem chamando a atenção que a onda de caos que se instalou na cidade está indo além dos limites de protestos contra a morte do homem negro pelo policial Chauvin. 

Os protestos no país chegaram à capital, Washington, com a Casa Branca redobrando a segurança em seu perímetro. A onda de incitação à violência e revolta vem invadindo as grandes cidades norte-americanas com destruição de carros de polícia e de lojas. 

Sexta-feira, 29 de maio de 2020

18:10 - Atualização: o ex-policial Derek Chauvin foi preso nesta tarde, de acordo com informações da rede NBC. 

Chauvin, que foi despedido na terça-feira com outros três policiais envolvidos, foi levado em custódia nesta sexta-feira (29) e é formalmente acusado de homicído de terceiro grau e homicídio culposo, de acordo com a promotoria do condado de Hennepin. 

A patrulha do estado norte-americano de Minnesota prendeu nesta manhã um repórter da CNN que cobria os protestos de Mineápolis ao vivo desta sexta-feira sem dar nenhum motivo e o levou embora algemado, assim como três membros de sua equipe.

O repórter negro Omar Jimenez, que posteriormente foi solto junto com os membros de sua equipe, havia acabado de mostrar um manifestante sendo preso quando meia dúzia de policiais brancos o cercaram.

A quinta-feira testemunhou a terceira noite de incêndios criminosos, saques e vandalismo em Minnesota em reação à morte de George Floyd, um homem negro que foi filmado sufocando enquanto um policial branco se ajoelhava sobre seu pescoço.

A mais recente agitação na maior cidade de Minnesota foi praticamente desmarcada no final da quinta-feira, com o prefeito ordenando uma retirada tática da polícia de uma delegacia incendiada.

As tropas da Guarda Nacional convocadas no início do dia pelo governador mantiveram um perfil baixo. O governador Tim Walz ordenou que a Guarda ajudasse a manter a paz após duas noites anteriores de distúrbios provocados pela morte de George Floyd na segunda-feira.

O presidente Donald Trump disse em rede social que enviaria tropas da Guarda Nacional para "fazer o trabalho direito" se o prefeito "fraco" não conseguisse restaurar a ordem, sugerindo que seria necessária força letal.