InternetData CenterAssinante

Aluno da UNESC conta como saiu da Espanha em meio ao surto de coronavírus

Eduardo F. Martinello estava em intercâmbio na Universidade de Santiago de Compostela
Aluno da UNESC conta como saiu da Espanha em meio ao surto de coronavírus
Foto: Acervo pessoal
Por André Abreu Em 02/04/2020 às 12:54

Era um sonho. E ele chegou lá no final de janeiro deste ano. O aluno da 9ª fase de Engeharia Ambiental e Sanitária da UNESC, Eduardo F. Martinello sempre teve o sonho de estudar fora e se preparar para mestrado e doutorado no futuro. O que ele não contava era com o surto de coronavírus. Aliás, nem seus professores na Espanha na Universidade de Santiago de Compostela contavam. 

Foi numa quarta-feira em meados de março que seus professores falaram que haveria uma reunião do conselhor regional das universidades da Galícia para definir sobre a situação do coronavírus. Naquela quarta o professor comentou que provavelmente as aulas continuariam normalmente. Mas no dia seguinte tudo mudou.

A Espanha começava a adotar medidas de restrição e as aulas já não ocorreriam mais. Eduardo se apressou a pedir uma autorização para fazer aulas a distância. Comprou também uma passagem de volta ao Brasil. Com o país se fechando, recebeu um aviso logo em seguida que o voo estava cancelado. 

Nos dias seguintes montou uma outra estratégia para deixar o país. Na Espanha, em Lugo, sempre ia ao supermercado para manter as compras em dia. Além de alimentos, agora tinha consigo sempre álcool em gel e sua máscara, companheiros inseparáveis até chegar em casa em Araranguá. A estratégia era ir de ônibus até Madri e lá comprar uma passagem de avião para o Brasil.

Foi o que fez. Mas no dia em que foi embarcar as máquinas de cartão do aeroporto não aceitavam pagamento. Para comprar sua passagem teve que ir a um caixa eletrônico fora do aeroporto e só então pode conseguir comprar uma passagem para Florianópolis com conexão em Guarulhos. 

O drama de Eduardo está se acabando agora depois de chegar ao Brasil e ficar em isolamento por recomendações médicas, que buscou assim que chegou em Araranguá há mais de 15 dias. O pai, que o buscou em Florianópolis, também ficou em isolamento.

Eduardo , de 21 anos, não vai desistir de sonhar, pois está com saúde. Mas, por enquanto, não tem expectativa de voltar à Espanha. Um sonho que foi programado por tanto tempo. 

    

Leia mais sobre: