navegue nos blocos da capa

Cinema

Crítica

Liga da Justiça: DC consegue compensar fãs e faz ótimo filme

01
DEZ
2017
| 18h27
18h27
Redação Engeplus
Jornalista | Portal Engeplus
Escreva para a redação referente a esta matéria
Enviar mensagem

Este contato será envido de modo restrito para o jornalista.
Contribua com a matéria
Dúvidas, sugestões ou contribuições

Especial - Felipe Rodrigues

Sim, vamos falar sobre o filme da Liga da Justiça, uma história que reúne vários personagens que mal tinham sido apresentados ao público - alguns deles nem mesmo citados nos quadrinhos. Introduzir esses novos personagens e ainda conseguir um bom filme de equipe seria uma tarefa quase impossível. Dessa vez, entretanto, tivemos um resultado promissor que pode agregar muito para os próximos filmes da DC.

A história e Liga da Justiça começa com Batman investigando a presença de batedores alienígenas em Gotham. Sabendo da invasão eminente, o herói decide reunir um grupo de seres extraordinários para ajudá-lo a salvar o mundo. São eles: Flash, um jovem atingido por um raio que se tornou o homem mais rápido do mundo; Aquaman, meio humano, meio atlante e famoso protetor dos mares; Cyborg, humano unido à tecnologia alienígena; e, claro, Mulher- Maravilha, semideusa amazona e amiga do Guardião de Gotham.

Ao decorrer da história descobrimos que Bruce se sente culpado pela morte de Superman, principalmente com uma invasão alienígena prestes a acontecer. O filme mostrou pontos fortes logo de inicio. A atuação de todos os heróis está boa, como já era de se esperar.

Ezra Miller chamou muita atenção como Flash, conseguindo demonstrar um jovem ingênuo e engraçado. As cenas de ação estão muito bem feitas, desde o Flash correndo, até o Aquaman nadando ou saltando de um inimigo para outro, isso sem falarmos no clímax do longa: a luta de toda a liga contra o vilão.

A apresentação dos personagens e a construção deles são muito bem realizadas, levando em conta o tempo de tela. O longa está repleto de referências, sem que isso se torne uma bagunça.Temos desde a simples homenagem a possíveis futuros personagens, como Lanterna Verde ou Shazam, até mesmo Darksied, um dos vilões mais importantes da Liga, se não o mais importante.

Como toda rosa tem seus espinhos, esse filme também possui seus tropeços. Por exemplo, o vilão inicialmente parece ser invencível, dizimando exércitos inteiros, mas na hora de enfrentar os heróis mostra que não é tudo isso. O Batman de Ben Affleck já tinha dado o que falar por ser muito extremo e agressivo, o que levou à reprovação de muitos fãs do personagem. Desta vez diminuíram a agressividade do personagem, porém o transformaram em um piadista, o que pode levar a uma reprovação maior ainda.

Acabamos tendo, no entanto, mais pontos fortes do que fracos no filme. Agora, finalmente a DC pode começar a construir seu universo expandido como queriam fazer antes. Vale ressaltar que o o filme possui duas cenas pós-créditos!

Depois do polêmico Batman versus Superman, e de Esquadrão Suicida, que foi massacrado pela crítica, a DC tinha uma tarefa difícil de compensar os fãs. Por incrível que pareça, conseguiu.

Leia mais sobre: cinema, crítica
Fala Leitor
Se você possui uma sugestão de pauta, artigo ou um fato que deseja noticiar, entre em contato conosco pelo Fala Leitor.
imagens recentes no Portal
Motoboys realizam homenagem a motociclista que morreu em acidente“Mãos unidas” em horário especial de NatalEscola Sem Partido é aprovada em meio a protesto Lançamento da 10ª Vindima Goethe é nesta terça-feiraIncêndio destrói casa de 90 m²Criciúma unida pela magia do Natal