InternetData CenterAssinante

Operação Blackout parece tirar o sono do prefeito

Servidores públicos serão proibidos de usar computadores particulares na prefeitura
Por João Paulo Messer Em 06/07/2020 às 05:26

Seguem os reflexos da Operação Blackout, realizada pelo GAECO semana passada na prefeitura de Criciúma e quatro empresas do setor elétrico da região. Sem diminuir o tom de que a ação agora é “coisa eleitoreira” o prefeito Clésio Salvaro deve sugerir uma nova ferramenta de transparência na tradicional reunião do secretariado desta segunda-feira.

Ele deve proibir que funcionários utilizem na prefeitura computadores pessoais e os funcionais serão monitorados. Além disso deve baixar um decreto pelo qual irá nomear uma comissão extra de acompanhamento dos processos licitatórios. Nesta comissão devem estar representantes do Observatório Social, da bancada de oposição na Câmara de Vereadores entre outros setores.

Oficialmente estas medidas devem ser anunciadas no máximo até quarta-feira, temo necessário para os ajustes destas medidas. Quando o fizer o prefeito deve voltar a tocar no caráter eleitoreiro da operação, como já fez num vídeo gravado às redes sociais no fim de semana. Ontem ele lembrou que a menos de um ano o GAECO fez uma ruidosa operação no órgão de trânsito do município, apreendendo computadores e telefones e que até o momento nada foi dito sobre irregularidades. Considera que se tivesse sido encontrado alguma coisa o resultado teria aparecido. Assim outras operações que ficaram restritas à repercussão popular que estas ações do GAECO provocam devem ser mencionadas.

Toda esta reação revela que o prefeito está muito mais incomodado do que disse estar quando comentou a operação, semana passada.