InternetData CenterAssinante

Moisés está voltando

Sucessão de episódios explica porque mandato de Daniela Reinher será curto
Moisés está voltando
Por João Paulo Messer Em 27/10/2020 às 17:26

A combinação dos fatos pode devolver a Carlos Moises o comando do governo do Estado de Santa Catarina bem antes do que se imagina. A sucessão de fatos leva à conclusão do que é quase uma obviedade. Desde a votação da sexta-feira passada, que revelou articulações silenciosas para contrapor a evidente pretensão da Assembleia Legislativa em afastar o governador Carlos Moises e a vice-governadora Daniela Reinher, Moises já via a possibilidade de ficar pouco tempo fora do palácio. Isso porque a intenção da Assembleia foi fatiada e só a metade não interessava. Mais do que isso, evidente que inimigos pessoais do presidente da Assembleia articularam para fragiliza-lo. Por isso a suspeita de que no Judiciário havia braços destes para fazer o contragolpe. E foi feito.

Este enredo devolveu à Assembleia a simpatia que ela nunca teve por Carlos Moises, que hoje recebeu a informação mais preciosa: a Polícia Federal não encontrou indícios para denunciá-lo no caso dos respiradores, que é o motivo do segundo pedido de impeachment. Se no primeiro pedido quatro desembargadores do Tribunal de Justiça chegaram a antecipar a sua absolvição e neste segundo não há indícios, fica muito fácil a Assembleia Legislativa e Carlos Moises construírem uma relação que nunca tiveram e desalojar a recém empossada governadora Daniela Reihner.

Contemos os dias para Carlos Moises retornar ao Governo do Estado e agora sob a benção da Assembleia Legislativa.

Leonel Brizola dizia: "A política ama a traição, mas odeia o traidor".