InternetData CenterAssinante

Nas entrelinhas da convenção do PSDB

A deputada Geovânia de Sá foi eleita presidente da sigla tucana
Nas entrelinhas da convenção do PSDB
Por João Paulo Messer Em 01/12/2019 às 20:18

Por unanimidade a deputada federal do Sul, Geovânia de Sá foi escolhida a presidente estadual do PSDB. Foi sábado durante convenção realizada na capital. Não é só o fato dela ser a primeira mulher do partido que chama atenção. Ela enfrentou algumas articulações internas, entre as quais a tentativa de esvaziamento. Dos 106 convencionais compareceram 56, dois mais do que a metade mais um, que é o quórum exigido para validar a escolha. Outro aspecto subliminar é o ligeiro enfraquecimento que sofre dentro do partido o grupo mais ligado ao MDB. Daqui por diante, entretanto, existe outro aspecto que a presidente tucana terá que observar: a inserção do dominador Gelson Merísio nos quadros do partido.

A verdade é que a deputada Geovânia de Sá não se mostra “empoderada” apenas no Sul, onde tem fincado bandeira um a um dos municípios. Sua liderança abrange agora todos os municípios catarinenses. Não que isso seja o desejo de todos os tucanos. Até mesmo tucanos que votaram nela podem entortar o bico quando se trata de unidade partidária, mas disso ela se mostrou ciente no discurso da convenção quando citou a liderança exercida pelos principais líderes tucanos.

O PSDB foi aliado do MDB na maior parte do tempo das últimas duas décadas e esta deve ser a grande diferença do novo partido. Fato, aliás, que se acentua com o ingresso de Gelson Merísio na sigla. Se observar o PSDB saiu de vice- de Esperdião Amin com Paulo Bauer para vice de Luiz Henrique da Silveira com Leonel Pavan e depois manteve-se na aliança costurada pelo falecido governador mesmo quando só teve vaga ao Senado. Aqueles tempos da aliança MDB e PSDB foram eficazes enquanto LHS era vivo. Já na eleição passada a tentativa de reedição desta aliança mostrou-se no maior fracasso que o partido sofreu em sua história.