InternetData CenterAssinante

Miguel Pierini rompe o silêncio

Derrotado na convenção dirigente expõe crise interna no PP de Criciúma
Miguel Pierini rompe o silêncio
Por João Paulo Messer Em 20/08/2019 às 16:03

Sem perder o tom e o rumo da sua crítica ao PP, o empresário Miguel Pierini comentou em entrevista à rádio Eldorado, nesta terça-feira, a crise interna no partido. Contundente em alguns aspectos, como quando fala da certeza de que o empresário Gílson Pinheiro entrou no partido para “bagunçar”, é prudente quando sugere que o coordenador Genésio Spillere tenha sido um dos responsáveis pela “armação” que denuncia. Aliás, alfineta Spillere quando sugere que ele deve “cuidar do seu quintal”. Batizou o movimento que o tirou da presidência como “convenção dos velhos lobos”. A sua candidatura vinha construída havia pelo menos quatro meses e só uma semana antes é que Itamar da Silva teria comandado a montagem de um colégio eleitoral cheio de irregularidades.

Doce veneno

Há entre progressistas a tese de que o movimento de simpatia para a entrada de Gílson Pinheiro no PP, seja fruto de um passo calculado pelo prefeito Clésio Salvaro. Amigo de Esperidião Amin, Clésio teria estimulado o assédio progressista a Pinheiro com a certeza de que ele provocaria o que provocou. Quer dizer, tem gente achando que Clésio Salvaro “deu corda” para ver Pinheiro no PP, sabendo que isso enfraqueceria o partido até então fechado em torno de Jorge Boeira.

O racha do PP

Flagrante também que a ala progressista alinhada ao prefeito Clésio Salvaro (PSDB) iria crescer se Miguel Pierini assumisse o partido. Isso porque ele tinha “apalavrado” que Júlio Colombo – atualmente alinhadíssimo com Clésio – iria para o PP. Está cada vez mais evidente que o PP implodiu e que para o tucano Clésio Salvaro o “tamanho da rachadura” atingiu o seu limite. Se rachar mais a ala que o apoia pode sair do partido e isso seria desinteressante às pretensões de reeleição do atual prefeito de Criciúma.