InternetData CenterAssinante

Dia tenso em Lauro Müller

Justiça afastou o prefeito por suspeita de fraude, peculato e corrupção
Dia tenso em Lauro Müller
Por João Paulo Messer Em 02/12/2019 às 17:14

A decisão do desembargador José Everaldo Silva, do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, em afastar o prefeito de Lauro Müller, empresário Valdir Fontanella (PP) por até 180 dias é o fato que agitou o ambiente político do Sul do Estado nesta segunda-feira. O GAECO deflagrou a operação denominada “Seguindo o Rastro”. Investiga possíveis crimes de fraude em licitações, peculato, corrupção ativa e passiva, num crime que teria sido cometido em parceria com outros servidores e empresários da cidade. Ninguém foi preso, mas houve buscas e apreensão de material em Lauro Müller (inclusive na prefeitura e numa empresa do prefeito), em Criciúma, Orleans e São José sempre nas empresas de Fontanella.

Ao contrário do que ocorre normalmente o GAECO não concedeu nenhuma entrevista coletiva para detalhar a operação. O processo corre em segredo de Justiça. Valdir Fontanella passou a tarde na capital do Estado acompanhado de seus advogados e ainda não se manifestou.

O vice-prefito Pedro Barp não tinha sentado na cadeira de prefeito até o meio da tarde de hoje. O presidente da Câmara de Vereadores, Luciano Leodato, que foi informado logo cedo da operação esteve no Fórum local para saber como proceder. Foi aconselhado a não dar posse ao vice-prefeito, já que o entendimento é que ele é o substituto natural do prefeito e assim disse que vai agir.

SESSÃO DA CÂMARA

Hoje às 19h acontece a sessão ordinária da Câmara de Vereadores. As últimas sessões já vinham agitadas o que deve se repetir hoje já que o prefeito tem apenas três vereadores da base. Quando começou a gestão ele tinha cinco dos nove vereadores, mas perdeu a base aliada porque não teria cumprido acordos feitos antes da eleição.