Artes Visuais

Documentário

Perda dos filhos para o crime traz a realidade de mães criciumenses

21
SET
2017
| 09h02
09h02
Douglas Saviato
Jornalista | Portal Engeplus
Escreva para a redação referente a esta matéria
Enviar mensagem

Este contato será envido de modo restrito para o jornalista.
Contribua com a matéria
Dúvidas, sugestões ou contribuições

Notícias sobre a violência recorrente ao tráfico de drogas trazem números assustadores todos os dias no noticiário. Entretanto, o que quase ninguém vê é o sofrimento vivido pelas mães destes jovens, que crescem entre a tensão da realidade social das comunidades menos favorecidas, partindo por caminhos criminosos.

O assunto é tema do documentário “Mães Órfãs – Vítimas Além do Crime”, que foi lançado pela ONG Voz do Gueto na Unesc, nesta quarta-feira, da 20. A iniciativa tem apoio da Universidade por meio do Núcleo de Estudos Afro-brasileiros, Indígenas e Minorias (NEAB) e do Programa Diversidades, Inclusão e Direitos Humanos (DIDH).

O presidente da Ong Voz do Gueto, Alex Gabriel, comentou que o documentário traz a esperança de contribuir com o trabalho que já é realizado dentro das comunidades. “Esse não é um tema simples de ser tratado. Ele traz a morte, o choro e o sofrimento de diversas mães. É fácil para a sociedade condenar o culpado, o difícil é enxergar aqueles que estão por trás dessa situação”, comentou.

Para a reitora da Unesc, Luciane Ceretta, a dor escondida, que se insere no coração das mães, precisa ser desvelada. “É necessário lutar por dias melhores e mais igualitários. Fazemos parte de um cenário nacional com tantas questões a serem compreendidas, e esse trabalho traz o olhar para a discussão. A Unesc, como Universidade Comunitária, está de portas abertas para o desenvolvimento de novas parcerias junto com a Ong Voz do Gueto, até para continuidade deste trabalho”, comentou.

Saiba mais

O documentário vai abordar a quantidade de mortos, principalmente jovens, decorrentes de algum envolvimento com o tráfico e organizações criminosas. Ele traz a história de três mães e um jovem, todos do bairro Renascer de Criciúma, que relatam um pouco de suas vidas e como conseguem enfrentar o trauma vivido após perdas tão violentas.

Leia mais sobre:
Fala Leitor
Se você possui uma sugestão de pauta, artigo ou um fato que deseja noticiar, entre em contato conosco pelo Fala Leitor.
imagens recentes no Portal
Doar esmola prejudica quem a recebe'É a primeira vez que assumo uma fria dessa', brinca Celito CardosoVÍDEO: Baixa Terapia comemora sucesso de vendas e anuncia sessão extraEmoção marca evento da Casa GuidoEstudantes do IFSC Criciúma se preparam para competição no CanadáEleições para a Câmara Mirim iniciam a todo vapor