InternetData CenterAssinante

Inventário aponta futuro das 740 árvores do Paço

Inventário aponta futuro das 740 árvores do Paço
Foto: Denis Luciano
Por Denis Luciano Em 30/10/2017 às 17:50

Uma equipe da Fundação de Meio Ambiente de Criciúma (Famcri) vistoriou o Parque Centenário nesta segunda-feira. É o desdobramento do censo das árvores feito nas últimas semanas e que conferiu uma novidade curiosa ao cenário dos freqüentadores do entorno do Paço Municipal: as árvores estão numeradas. Em cada uma delas, um papel grampeado com um número anotado confere uma espécie de carteira de identidade.

“Com esse inventário apuramos que existem 740 árvores em todo o parque na volta da prefeitura”, confirma a presidente da Famcri, Anequésselem Fortunato. O objetivo é a revitalização plena do Parque Centenário com vistas à reinauguração do Paço, programada para 6 de janeiro do ano que vem. “Apuramos quais árvores são exóticas, nativas, saudáveis ou não, afim de revitalizar, podar, transplantar ou, quando necessário, suprimir algumas”, informa.

Árvores serão retiradas

É certo que árvores serão removidas para abrir espaço à ampliação do estacionamento, do atual bolsão, defronte ao Paço, em direção à rua Palestina. “Ali há eucaliptos, vamos retirar para poder aumentar o espaço para estacionar”, confirma a presidente. 

A vistoria de hoje apurou que muitas árvores não estão mais saudáveis. “Temos muitas goiabeiras, que são exóticas e poderão ser retiradas. Há muitas palmeiras também, e algumas delas vamos transplantar para o Parque das Nações, o Parque do Imigrante no Rio Maina e para praças. E há ainda ipês, figueiras e jerivás que são nativos e, quando em excesso, também transplantaremos para outras partes”, explica Anequésselem.

Algumas das figueiras do entorno do Paço encontram-se sujas, com muitos fungos, e passarão por limpeza. “E quando há muitas árvores próximas uma da outra elas acabam competindo por espaço e até por nutrientes, isso será levado em conta também”, observa. 

Parte pronta para seis de janeiro

A meta é aprontar todo o novo paisagismo da frente do Paço e do lado onde o estacionamento será ampliado até 6 de janeiro. “As mais distantes ficarão para depois. E existe também a ideia, em algumas partes, do plantio de árvores mais novas e frondosas”, relata a titular da Famcri.